Gestão e Fatores de Riscos

Gestão e Fatores de Riscos

Gestão de Riscos

O desenvolvimento da IGUÁ está exposto a uma série de riscos conjunturais ou circunstanciais, sejam eles associados à atividade empresarial, sejam eles específicos do setor de saneamento. São muitas as variáveis a se considerar no planejamento de riscos, daí a importância de um eficiente sistema de gestão de riscos capaz de prever, evitar ou mitigar eventuais impactos às atividades cotidianas da empresa, à sua prestação de serviços à população e aos planos de crescimento.

Na IGUÁ, a área de Compliance tem a missão de fortalecer e ativar os sistemas de controles internos de suas controladas com o objetivo de atender às demandas da boa governança corporativa, fazendo cumprir leis, políticas, diretrizes e regulamentos estabelecidos pelas mais diversas instâncias. Assim, compete à estrutura de Compliance, em sua relação com a alta administração e as controladas, integrar as práticas corporativas relacionadas aos seguintes temas: avaliação de risco; apetite e tolerância ao risco; regras e responsabilidades; políticas e procedimentos e monitoramento tempestivo.

O trabalho se desenvolve sobre um tripé de iniciativas: mapeamento de riscos, definição de controles internos e monitoramento contínuo.

Após a definição dos controles internos aos riscos mapeados, a apliIGUÁilidade e a aderência de tais controles são continuamente monitorados.

Tanto o mapeamento dos riscos quanto a estrutura dos controles demandam, da mesma forma, atualização permanente para não perderem sua eficácia como ferramentas de gestão.

Fatores de Risco

Riscos Relacionados à:

A IGUÁ

  • Possuímos atualmente, projetos em desenvolvimento que possibilitariam o crescimento de nossa participação no setor. Podemos não atingir tais objetivos e podemos, também, enfrentar uma eventual insuficiência de recursos para que tais objetivos sejam alcançados.
  • O aumento da concorrência no setor de atuação pode impactar negativamente na nossa estratégia de negócios.
  • O retorno do investimento em infraestrutura realizado pela Companhia para a prestação do serviço público de água e esgoto pode não ocorrer ou ocorrer de forma diversa da prevista.
  • A obtenção de novas concessões, novas parcerias público privadas e novas aquisições envolvem riscos relacionados à integração dos negócios adjudicados ou adquiridos, à descoberta de eventuais contingências não identificadas anteriormente, ao estado dos bens e à regularidade das operações relativas às concessões e, também, podem não alcançar as metas financeiras e estratégicas previstas à época de qualquer outorga de concessão, estabelecimento de parceria público privada ou aquisição.
  • Podemos incorrer em custos de investimento, de operação e de manutenção maiores do que os estimados.
  • Nos termos dos nossos contratos financeiros, estamos sujeitos a obrigações específicas, bem como restrições à nossa capacidade de contrair dívidas adicionais.
  • Pode haver interrupções ou falhas em nossos sistemas de tecnologia da informação, os mesmos podem não comportar o crescimento ou podem ter problemas decorrentes da terceirização dos serviços de manutenção desses sistemas.
  • Estamos expostos a riscos associados ao fornecimento de serviços públicos de água e coleta de esgoto.
  • Podemos incorrer em custos significativos associados à coleta e tratamento de esgoto e ao tratamento e distribuição de água.
  • Podemos não conseguir implementar integralmente a sua estratégia de negócios.
  • Pode haver mudanças na alta administração ou podemos ter dificuldades de atrair e manter pessoal qualificado.
  • Utilizamos prestadores de serviços terceirizados para a operação e manutenção de nossas instalações.
  • As apólices de seguros que mantemos podem ser insuficientes para cobrir eventuais sinistros.
  • Podemos sofrer intervenção do Tribunal de Contas do Estado nos processos licitatórios de que participamos, bem como questionamentos de terceiros em nossos procedimentos licitatórios e nossas concessões.
  • Os contratos de concessão e de parceria público privada poderão ser rescindidos unilateralmente em determinadas circunstâncias.
  • Caso não sejamos capazes de atingir o percentual mínimo de ações ordinárias em circulação ou de manter o patamar mínimo de liquidez exigidos no Regulamento do BOVESPA MAIS a autorização para listagem no BOVESPA MAIS poderá ser cancelada.
  • O grau de endividamento pode afetar adversamente a capacidade de conduzir nossas atividades e de pagar as dívidas.

A seu controlador, direto ou indireto, ou grupo de controle

  • Os interesses do Acionista Controlador podem ser divergentes ou conflitantes com os interesses dos acionistas.
  • A mudança do controle acionário pode afetá-los adversamente.

A seus acionistas

  • Pretendem realizar novas emissões de valores mobiliários, inclusive em função do plano de outorga de opções de compra de ações que podem vir a adotar, o que poderá resultar em uma diluição da participação do acionista no capital social.
  • Podem não pagar dividendos ou juros sobre o capital próprio aos acionistas titulares de suas ações.

As suas controladas e coligadas

  • De acordo com a legislação brasileira que regula as matérias de concessão e parceria público privada, a estrutura societária é composta por diversas sociedades de propósito específico, o que pode acarretar sua responsabilização por questões fiscais, trabalhistas, de proteção ao meio ambiente, consumeristas e falimentares oriundas de suas controladas.
  • São uma companhia (holding), cujos resultados dependem dos resultados das suas subsidiárias os quais não podem assegurar que os serão disponibilizados.

A seus fornecedores

  • A energia elétrica, que é predominantemente hidráulica no Brasil, é essencial para suas operações, e pode haver indisponibilidade de água e de energia elétrica.

A seus clientes

  • A Companhia pode enfrentar dificuldades na arrecadação de volumes significativos de contas vencidas e não pagas de seus usuários, incluindo entes públicos

Aos setores da economia nos quais o emissor atue

  • A Companhia pode sofrer impactos em suas atividades e em seus negócios decorrentes da legislação e regulamentação ambientais e de acordos e tratados internacionais relativos a mudanças climáticas.
  • Não pode garantir que não haverá alteração na legislação promulgada em janeiro de 2007 sobre o setor de serviços públicos de água e esgoto no Brasil.

voltar

topo